fbpx
Globos de Ouro Sic 2021

O que esperar da 25ª Edição dos Globos de Ouro

Ao fim de 25 anos, e numa altura em que é imperativo transformar a forma como a televisão entretém e deslumbra o público, a vigésima quinta edição dos Globos de Ouro chega com expectativas altas.

primeira edição globos de ouro sic

Quando em 1996 a SIC lançou os Globos de Ouro, muito poderiam considerar que se trataria de uma versão TV da revista Caras, ou que não havia em Portugal conteúdo, nem acontecimentos para realçar todos os anos. A verdade é que 25 anos depois, os Globos de Ouro continuam, mesmo que de alguma forma ainda não tenha totalmente transitado de um programa de televisão para um evento nacional ou mesmo internacional.

E numa época em que o consumo de televisão se fez obrigatório devido ao confinamento pandémico, qualquer oferta em canal generalista que não seja disruptivo pode ditar o fracasso em audiências.

Nesta 25ª edição dos Globos de Ouro a SIC apresentou os nomeados distribuídos por 19 categorias.

  • Cinema
    • Melhor Atriz
    • Melhor Ator
    • Melhor Filme
  • Entretenimento
    • Personalidade do Ano
    • Personalidade do Ano Digital
  • Ficção
    • Melhor Atriz
    • Melhor Ator
    • Melhor Projeto
  • Humor
    • Personalidade do Ano
  • Moda
    • Personalidade do Ano
  • Música
    • Melhor Intérprete
    • Melhor Atuação
    • Melhor Música
  • Teatro
    • Melhor Atriz
    • Melhor Ator
    • Melhor Peça/Espetáculo
  • Prémio Revelação
  • Prémio 25 Anos
  • Prémio Mérito e Excelência

Estas categorias que já sofreram alterações ao longo dos anos têm vindo a ser compactadas e obrigando a uma repetição de personalidades e uma descaracterização dos seus trabalhos. A área da Moda é um exemplo disso quando vemos criadores misturados com modelos. A área do Desporto simplesmente desapareceu. Eventualmente porque com tantos prémios atribuídos aos Cristianos Ronaldo não vale a pena fazer mais. Seria sempre o mesmo a ganhar. Talvez porque não há tempo para uma emissão tão longa nem ideias de como encher os espaços entre entregas, mas a verdade é que já chegámos a uma altura deste evento em que é preciso torná-lo realmente uma montra de talento para Portugal e para fora de Portugal.

À semelhança dos Óscares, estes Globos de Ouro fazem-se muito com recurso a momentos de espetáculo. Seja os monólogos de quem apresenta, das produções de abertura, convidados musicais, dos convidados que entregam prémios, mas também é feito em grande parte pela tão famosa Red Carpet. O desfile de personalidades na Red Carpet é o momento alto de quem assiste. E aqui o que queremos ver não é o “Com preto não me comprometo”. O que queremos ver é a Moda como transmissão de mensagens, de sentimentos, queremos ver tudo aquilo que não vemos nas ruas. Felizmente já se começa a ver algo transformador nesta passadeira vermelha, e infelizmente são sempre os mesmos a darem esse contributo.

Mas também faz parte a premiação dos nomeados nas diversas categorias. E para a 25ª Edição dos Globos de Ouro, os nomeados podem ser vistos aqui. Mas mais uma vez faltam categorias, e, por conseguinte, faltam pessoas. A última edição dos Jogos Olímpicos foram a prova de que existe muito talento em Portugal na área do desporto. A falta desta categoria torna mais pobre e limitador este evento. A constante mistura entre modelos e criadores em uma só categoria é representativo do desinteresse nesta área e desrespeito pelo trabalho de cada elemento no mundo da Moda.

Mas não podemos deixar de reconhecer que a existência deste evento é por si só uma aposta no que fazemos em Portugal. E a sua continuidade merece ser preservada. Não posso, no entanto, deixar a minha sugestão de categorias para a próxima edição.

  • Representação
    • Melhor Atriz
    • Melhor Ator
    • Melhor Filme
    • Melhor Peça/Espetáculo
    • Melhor Realizador/Encenador
  • Música
    • Melhor Músico
    • Melhor Album
    • Música do Ano
    • Melhor Espetáculo
  • Moda
    • Criador do Ano
    • Modelo do Ano
    • Foto do Ano
  • Desporto
    • Desportista do Ano
    • Treinador do Ano
  • TV
    • Melhor Host de Entretenimento
    • Melhor Programa de Entretenimento
    • Melhor Host de Informação
    • Melhor Programa de Informação
  • Jornalismo
    • Melhor Meio de Informação
    • Melhor Reporter
  • Digital
    • Personalidade Digital do Ano
    • Canal Digital do Ano
  • Prémio Revelação
  • Prémio Mérito e Excelência

Mas para esta edição, o que esperar? Clara de Sousa, Pivot dos Telejornais da SIC é a Host deste ano. Depois da saída de Cristina Ferreira e como forma de comemorar os 25 anos do evento, uma das caras mais conhecidas do canal foi convidada a dar este passo. Jornalista na SIC desde 2000, Clara de Sousa passou pela rádio, pela RTP e pela TVI, tendo começado a apresentar o Jornal da Noite da SIC em 2007.

O risco de alguém que costumamos ver num registo sério, a que o Telejornal em Portugal nos obriga, a apresentar um programa de entretenimento e espetáculo pode ter dois resultados. A versão de Clara de Sousa completamente fora da zona de conforto e a mostrar que há muito mais para além da Pivot que vemos numa mistura disruptiva e de total espetáculo, ou podemos assistir a uns Globos de Ouro em formato Jornal da Noite. O ponteiro das audiências já está a tremer para se dirigir a um dos estremos.

Estes Globos de Ouro são também os primeiros pós-confinamento. E como tal estamos todos ansiosos por ver algo de diferente na televisão. Queremos ver se os “artistas” e as “celebridades” estão mais gordas, se estão mais magras, se saíram de casa para renovar o guarda-roupa. Queremos todos os “gossips” que possa haver. Queremos tema de conversa para acompanhar o copo de vinho ou a cerveja. Esperemos que assim seja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Related Posts
Total
2
Share